Giro DBV Social @By Marcia Cruz

Programa TOPA recebe o prêmio Darcy Ribeiro de Educação, em Brasília, nesta quarta (26)

27 outubro Marcia Cruz 0 Comments



O Programa Todos Pela Alfabetização (Topa), desenvolvido pelo Governo do Estado da Bahia, por meio da Secretaria da Educação e em parceria com o governo federal e os municípios, recebeu nesta quarta-feira (26), em Brasília (DF), o Prêmio Darcy Ribeiro de Educação. 

A iniciativa da Comissão de Educação e Cultura da Câmara Federal é um reconhecimento a instituições que se destacaram na defesa e promoção da educação no país. Com números que impressionam os especialistas em educação, o Topa foi homenageado por ser o maior programa voltado para a redução do analfabetismo no Brasil. O prêmio entregue durante sessão solene no Salão Nobre da Câmara dos Deputados, no Congresso Nacional, foi recebido pelo governador Jaques Wagner.

Ele agradeceu o reconhecimento da Câmara e disse que o prêmio é um grande estímulo para todos que trabalham com a educação no estado. “É uma honra receber um prêmio com o nome de Darcy Ribeiro, um brasileiro que se destacou na área da educação. A Bahia, terra de Rui Barbosa, Castro Alves e Anísio Teixeira, tinha o título de campeã do analfabetismo entre pessoas com mais de 15 anos. Agora, mostramos que, com empenho e um programa arrojado, é possível acabar com esse problema histórico”.

De acordo com o governador, o programa continuará, e agora com mais entusiasmo depois do prêmio. “Esse reconhecimento mostra que estamos no caminho certo. Em quatro anos e seis meses devemos chegar a marca de um milhão de alfabetizados, o que orgulha a todos nós”.


A presidente da Comissão de Educação da Câmara, deputada Fátima Bezerra, explicou que o Topa foi escolhido por sua eficiência na redução do índice de analfabetismo. “É um programa que promove a cidadania, e a homenagem é mais que merecida. Moramos num país com altos índices de analfabetismo, cerca de 10% na média nacional, e 20% no Nordeste. Daí porque essa iniciativa da Bahia é muito oportuna”.

Responsável pela condução do programa, o secretário da Educação do Estado, Osvaldo Barreto, disse que reconhecimento aumenta a responsabilidade. “Vamos continuar trabalhando para acabar com o analfabetismo na Bahia. Esse prêmio, além de nos estimular, fez crescer o nosso compromisso com a causa”.

Estiveram presentes na cerimônia os deputados federais Amauri Teixeira, Nelson Pelegrino, Luís Alberto, Rui Costa e Valdenor Pereira, os senadores Walter Pinheiro e Lídice da Mata, o secretário de Planejamento do Estado, Zézeu Ribeiro, e o ministro do Desenvolvimento Agrário, Afonso Florence.

Números comprovam eficiência do maior programa de alfabetização


Estado que historicamente possuiu o maior número de analfabetos do país, a Bahia está conseguindo mudar essa realidade com o Topa. Lançado em 2007, o programa já alfabetizou 841 mil pessoas em várias regiões do estado.Formatado para chegar às localidades mais distantes, o programa conta com a parceria de prefeituras, associações comunitárias e movimentos sociais, que disponibilizam locais para a realização das aulas, e mobilizam as comunidades para a importância da alfabetização. Atualmente, 675 entidades participam do Topa, que chegou a 407 dos 417 municípios baianos.

O programa está em sua quarta etapa, com 251 mil alunos matriculados e frequentando as aulas. O curso dura oito meses e todo o material didático é fornecido pelo Estado. Cada turma tem, no máximo, 15 alunos, e para garantir ainda mais a eficiência, os professores passam por uma capacitação.

Com uma proposta pedagógica que valoriza a experiência de vida e os conhecimentos dos alfabetizandos, o Topa possibilita o acesso à leitura e à escrita a partir da realidade social dos alunos. “Nós trabalhamos muito o dia a dia deles, os textos trazem sempre questões ligadas à família, ao bairro, de forma que essa proximidade facilite o entendimento”, explica a professora Maria Carmem, que ensina na escola Fonte do Capim, no bairro de San Martim, em Salvador.

Histórias de superação e força de vontade para ler e escrever


Em quatro anos de funcionamento, o Topa mudou a vida de muita gente e produziu histórias incríveis de força de vontade e de superação. Dona Enedina, moradora de Ilhéus, que aos 100 anos foi alfabetizada, é o maior exemplo. Sem nunca ter entrado numa sala de aula, ela encontrou coragem para aprender a ler e escrever. As dificuldades para se locomover, ouvir e até enxergar não foram obstáculo para que realizasse o sonho de conhecer as palavras.

Assim, a exemplo dela, milhares de baianos que em idade escolar não tiveram a oportunidade de frequentar a escola, entraram numa sala de aula pela primeira vez. Dona Maria Inês, 63, moradora de Salvador, é outro exemplo. Ela concluiu o curso no fim de 2010. Durante oito meses foi à escola todos os dias e assim que terminou procurou a professora e disse - “quero continuar a estudar”.

Hoje, Dona Maria Inês está matriculada no Programa de Educação de Jovens e Adultos (EJA), onde os alunos do Topa podem continuar sua formação. Essa inclusive é uma das metas do programa, estimular os estudantes a se manterem na escola.

Premiação 


O Prêmio Darcy Ribeiro de Educação é concedido anualmente desde o ano 2000 e os indicados são selecionados pela Comissão de Educação da Câmara. Além do Topa, receberam a premiação, a Escola Sesc de Ensino Médio, em Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, e o Instituto Guga Kuerten, em Santa Catarina. Eles foram escolhidos dentre as 20 indicações apresentadas pelos parlamentares. O Topa foi indicado para premiação pelo senador Walter Pinheiro.

0 comentários: