Beleza e Estética,

Roer unhas: um vício que precisa ser eliminado o quanto antes!

11 novembro Marcia Cruz 0 Comments


Segundo um estudo publicado na revista especializada Iranian Journal of Medical Sciences, o hábito de roer unhas afeta cerca de 20% a 30% da população mundial e é causado por motivos que variam de acordo com as pessoas, desde nervosismo, ansiedade, tédio, até fome e frustração. 

Um outro estudo, publicado em 2015 na revista científica Journal of Behaviour Therapy and Experimental Psychiatry, indica que o que move a onicofagia, termo técnico para o hábito de roer as unhas, não é a ansiedade, e sim o perfeccionismo. A pesquisa concluiu que o hábito pode ajudar pessoas perfeccionistas a diminuir a irritação, o tédio ou a insatisfação.

A genética é outra possível explicação para o hábito de roer as unhas. Pesquisas já mostraram que um terço das pessoas que roem as unhas tem familiares com o mesmo hábito e que isto é algo comum entre gêmeos.

Mas acho importante falarmos dos riscos do vício, que pode, e deve sim, ser enfrentado e vencido! Continua comigo na leitura!


RISCOS PARA A SAÚDE AO ROER UNHAS

Segundo a Academia Americana de Dermatologia (AAD) as infecções bacterianas causadas pelo hábito de roer as unhas são um dos problemas mais comuns. A paroníquia, por exemplo, é uma infecção da pele ao redor das unhas. É dolorosa e, em casos mais graves, pode necessitar de uma intervenção cirúrgica.

Outro problema causado pela prática é a deformação nos dentes, o desgaste prematuro e até mesmo a mudança de posição dos dentes, afetando a oclusão dental ou a mordida.

Confira essa lista e reflita, caso tenha esse vício!

1. Unhas são foco de bactérias

Sabia que suas unhas, por mais limpinhas e bem tratadas que pareçam, são cheias de bactérias? Uma das mais perigosas é a Staphylococcus aureus, que podem causar furúnculos e abscessos na pele e na boca.

Aliás, um estudo realizado em 2007, provou que pessoas que costumam roer as unhas estão mais propensas ao aumento no número de bactérias na boca e, por isso, a sofrer com mais quadros de diarreia e de vômitos.

2. Pode causar gengivite e mau hálito

Não só por causa das bactérias, mas quando você rói as unhas, a probabilidade de pedaços de unhas ficarem presos na gengiva é grande. Isso pode causar inchaço, vermelhidão, que podem evoluir para um quadro de gengivite.

Ainda por causa do acúmulo de bactérias, o hábito pode ser responsável também por seu mau hálito, caso sofra com o problema e roa as unhas.

3. Pode causar problemas nos dentes

Assim como as gengivas, os dentes podem acabar sofrendo danos quando você tem o hábito de roer as unhas. Como o hábito está associado ao estresse, é comum casos de pessoas que quebram dentes e até mesmo deslocam a mandíbula por causa do problema.

Especialistas também garantem que roer as unhas compromete a integridade do aparelho ortodôntico. Não é difícil pessoas que usam aparelho descolarem um ou mais brackets por causa disso.

4. Pode infectar outras partes do corpo

Nossas mãos tocam todo tipo de superfície ao longo do dia, incluindo outras partes sensíveis de nossos corpos, como a boca, os órgãos sexuais, os olhos e assim por diante. Então, todas as vezes que você rói as unhas, não está levando somente um número de bactérias sem fim para seu organismo, mas também sujeira de todo tipo, o que pode resultar em úlceras, bolhas e outras lesões infecciosas.

5. Esmaltes podem ser tóxicos

Se você for mulher, então, o risco de roer as unhas é ainda maior. Isso porque os esmaltes podem ser tóxicos. Em suas fórmulas são comuns ingredientes que prejudicam a saúde, como o formaldeído, substância é altamente tóxica e é usada para embalsamar mortos.

Não é TOC


A Associação Americana de Psiquiatria incluiu a onicofagia na lista de transtornos obsessivos-compulsivos (TOC), mas nem todos os psiquiatras concordam com isso. Alguns deles argumentam que apesar de a onicofagia ser, como no caso do TOC, uma conduta natural levada ao excesso, as obsessões do TOC são motivadas por ansiedade. O que não ocorre sempre nesse hábito.



UNHAS: CARTÃO DE VISITAS. CUIDE BEM DELAS!

A unha roída dá uma má impressão, sem esquecer que as unhas são um cartão de visitas. As unhas bem cuidadas e bonitas são reflexos de conceitos de higiene e segurança. São formadas basicamente de proteína chamada queratina, encontrada também nos cabelos e na pele. 

Mas cuidar das unhas vai além de alicates e esmaltes, também é preciso uma alimentação saudável, rica em proteínas e Vitamina A, para unhas fortes e bonitas. 

UNHAS: TERMÔMETRO DA SAÚDE

Por fim, as unhas também podem ser o termômetro que indica um problema de saúde. Quando há falta de cálcio no organismo elas ficam fracas e quebradiças.

A Academia Americana de Dermatologia define alguns sintomas:

Unhas sem cor: podem indicar anemia.

Unhas amareladas: podem ser sinal de diabetes.

Unhas com uma metade branca e outra avermelhada: podem ser sintoma de doenças renais.

No mais, como todo vício, roer unhas não é uma coisa fácil de largar, mas é necessário enfrentar e vencer o vício. 


DICAS PARA LARGAR O VÍCIO

Para ajudar a largar o vício de roer unhas, procure mantê-las limpas, evitando cortar muito a cutícula, que servem para proteção da unha, e pintadas, usando um esmalte de tratamento e de combate ao vício vendido em farmácias de manipulação, que possuem nutrientes e também um sabor amargo, para desestimular o vício.

Também é importante cuidar da ansiedade e observar em relação ao perfeccionismo, tratado na matéria, que apresenta o ato de roer unhas como uma forma de relaxamento.

Afinal, existem formas melhores de relaxar, não é mesmo?

Até o próximo post!

0 comentários: