Comportamento,

As Armadilhas da Culpa e do Imerecimento

17 abril Marcia Cruz 0 Comments


O que você deseja e te parece impossível, como sendo algo utópico e inalcançável? Ser feliz? Ter prosperidade? Amar e ser amado? Ter uma família harmoniosa e feliz? Ser saudável? Ter o corpo que deseja? Ter sucesso profissional? Ter um casamento fantástico? Amigos verdadeiros e sempre presentes? Familiares que se amam e se apoiam, mutuamente?

Pare um momento e reflita, pois a barreira está bem aí, dentro de você, e a mudança só vai acontecer quando for confrontada de dentro para fora.

Isto acontece porque nossa mente é uma criação fantástica, mas ainda subutilizada. E embora não tenhamos manual de instrução, já temos boas pistas para termos uma vida mais plena e feliz. E isso graças ao avanço da neurociência cognitiva, que vai além do aspecto biológico da mente e sua relação com nosso sistema nervoso central, e estuda a repercussão da mente sobre os nossos pensamentos, emoções e comportamentos.

SENTIMENTO DE CULPA E IMERECIMENTO

E hoje eu quero falar sobre algo que está diretamente relacionado a estas barreiras aparentemente intransponíveis que criamos em nossa mente e que nos impede de alcançarmos nossos objetivos. Obviamente, dentro de um limite ético, pois aquilo que não desejamos para nós, é de bom tom também não desejarmos aos outros.

Afinal, uma das leis universais é a Lei da Semeadura, que determina que aquilo que semeamos, iremos colher. Ou você acha que se semearmos sementes de uva, iremos colher morangos? Da mesma forma, se semeamos pensamentos ruins, negativos e destrutivos, que tipo de resultado poderemos esperar? É como bem diz Henry Ford: “se você acha que pode, ou que não pode fazer alguma coisa, você tem sempre razão”.

E uma das piores coisas que pode travar o nosso desenvolvimento é o sentimento de culpa, que nos aprisiona numa redoma psicológica na qual predomina a condenação e a percepção de imerecimento.

Para que possamos entender melhor o assunto, vamos saber como funciona o sentimento de culpa, e as terríveis armadilhas e grilhões que fazem parte do seu “pacote psicológico”.

Acredite, pessoas que carregam culpa e não se sentem merecedoras, inconscientemente destroem tudo em suas vidas. E não é isto que queremos, não é verdade?


ENTENDENDO O SENTIMENTO DE CULPA

A culpa surge quando a gente passa por determinadas situações e achamos que poderíamos ter agido, ou reagido, de forma diferente. O problema é que a vida não é controlável, e nós também não somos perfeitos, o que significa que devemos enxergar os erros como parte do processo de aprendizagem ou como uma falha eventual (às vezes até mesmo necessária!), e não um peso a ser carregado pelo resto da vida, como se fosse uma âncora que nos prende ao passado. E, o que é pior, nos deixando presos aquele exato momento de dor e frustração, como algo mal resolvido e que, inconscientemente, nos leva à sabotagem, por não nos sentirmos merecedores de termos o que de fato desejamos.

É por isto que precisamos fazer uma auto avaliação para descobrirmos o que nos impede de vivermos de forma plena, pois a culpa deixa uma sensação de “dívida impagável”, criando de fato muralhas aparentemente intransponíveis, que deixam uma sensação subliminar de incapacidade e de mais culpa ainda, por não conseguir superar a situação.

A “emoção dolorida”, como bem a definiu Sigmund Freud, é geralmente camuflada, pois na maioria das vezes nem nos damos conta da culpa, embora ela nos traga consequências ruins, como : tratar mal os outros, viver encontrando culpados para tudo, reclamar sempre; ou situações como depressão, alcoolismo, vício em drogas, ou até mesmo o isolamento, como uma forma de proteção.

Como eu já disse, e vou repetir: pessoas que carregam culpa e não se sentem merecedoras, destroem tudo em suas vidas, conscientemente, ou não.  

VISÃO DISTORCIDA DA SITUAÇÃO E DE SI MESMO

Além de manter a pessoa presa no passado, o sentimento de culpa afeta a forma como a pessoa pensa a respeito de si mesma, fazendo-a ficar sempre se lamentando, ou se sentindo mal ou incapaz, ao invés de buscar alternativas e possibilidades para, efetivamente, resolver o problema.

Ao invés de aprender com os erros, a pessoa fica repetindo as mesmas atitudes e os mesmos padrões de pensamentos e emoções que a faz ficar dando voltas e nunca avançando naquela determinada situação.

Quem sabe repetindo padrões de relacionamentos errados, que ela sabe que faz mal para ela. Quem sabe não conseguindo manter-se firme na determinação de emagrecer e ter uma vida mais saudável. Ou de não aprender a falar fluentemente novos idiomas, embora considere isto importante em sua vida. Ou mantendo padrões de pensamentos e atitudes que sabotam totalmente seu projeto de independência financeira, pois no fundo a pessoa não se acha merecedora de ter uma vida próspera e feliz.

Quem sabe nunca dando o primeiro passo para melhorar o relacionamento com seu conjugue, filhos e familiares. Quem sabe nunca perdoando um erro do passado de outras pessoas, pois se ela própria não se perdoa por seus erros, como vai perdoar, verdadeiramente, o outro?

E assim a pessoa leva sua vida num círculo vicioso, ao invés de virtuoso, e vai perdendo qualidade de vida, e momentos incríveis.

O QUE FAZER PARA ACABAR COM O SENTIMENTO DE CULPA

Bem, não adianta apenas identificar o problema, é preciso resolvermos a situação. E daí vem a importância de voltarmos à Neurociência Cognitiva, pois ela nos mostra que nosso cérebro precisa, literalmente, descartar informações inúteis para dar lugar a novos aprendizados e acontecimentos significativos. Precisamos criar novas conexões neurais, mais positivas e direcionadas ao que queremos realizar em nossa vida, para ajudar nosso cérebro a gerar um ambiente mais saudável dentro de nós mesmos, com pensamentos e emoções ligadas ao sucesso, a felicidade, a realização, ao comprometimento e determinação.

Buscarmos, enfim, nossa essência, que é única, e jogar fora tudo o que não seja relevante e producente, e desenvolver pensamentos, emoções e atitudes que nos levem à uma vida de alta performance, resultados efetivos, relações valorosas e de realização plena.

1ª Ação Necessária - Aprenda a lidar com erros

Essa etapa começa na infância. Quanto mais a criança for cobrada para não errar, mas ela terá dificuldade em lidar com o erro pelo resto da vida.

Se este for o seu caso, entenda que você cresceu e que não é mais aquela criança que tinha que ser perfeita e não podia errar para ser amada e respeitada. Entenda que erros acontecem e fazem parte do processo de aprendizado. Eles não são âncoras, e sim professores valiosos.

Aprenda com os erros e siga adiante!! Se você tem um parceiro (a), chefe ou sócio (a) que te exige perfeição, se posicione e mostre que todos somos passíveis de erros, e que o principal não é o erro, em si, e sim o que você faz a partir daquele aprendizado.

Estude biografias de pessoas bem sucedidas, e perceba que todos cometeram falhas, mas que não desistiram de acreditar em si mesmas!!

Se te colocaram num “pedestal”, como uma pessoa perfeita e um exemplo a ser seguido, caia fora, pois você não é estátua e sim um ser humano vivendo essa bela e maravilhosa aventura chamada vida.

E se alguém acha que você tem que ser uma pessoa perfeita para que possa ser amada, inclua esta pessoa na lista das coisas a serem deletadas, pois esta pessoa não merece seu precioso tempo, pois tempo é vida!!

2ª Ação Necessária – Sinta-se merecedor

Como você tem reagido a elogios? Ou a um presente inesperado? Você sente-se bem, agradece, ou sente-se incomodado?

Como você reage quando cumpre uma etapa dentro do seu planejamento? Você comemora? Agradece a si mesmo e as pessoas que te ajudaram a vencer a etapa, ou você ignora, ou acha uma bobagem comemorar seus avanços na vida?

A gratidão é um sentimento valioso, altamente energético e positivo, e que vale a pena ser cultivado, diariamente. Comece o dia sendo grato por estar vivo, e esteja atento as pessoas, coisas e situações que chegam até você, no seu dia a dia, pois o Universo conspira sim ao nosso favor, e quanto mais atentos e gratos estivermos, mais estaremos conectados com a energia do merecimento. Porque, sim, você merece existir, e merecer viver uma vida plena e feliz!!
3ª Ação Necessária – Troque a culpa por responsabilidade e seja mais leve com você mesmo

Definitivamente, aprenda a diferença entre ser culpado e ser responsável.

A autorresponsabilidade coloca você no controle de sua vida, de seus pensamentos e emoções. É uma escolha que traz emoções positivas, pois você se sente capaz, ativo, motivado. Faz você enxergar a vida de forma mais leve e responsiva. E daí se você cometer alguns erros? Você tem capacidade de aprender, superar e vencer!!

Já o sentimento de culpa, por sua vez, é uma emoção negativa que paralisa e faz com que você fique preso ao erro, no passado. Um sentimento que te leva a sabotagem e procrastinação, e que só te traz mais dor e frustração.  E isso, realmente, não vale a pena!!

E seja mais leve com você mesmo. Ter bom humor é fundamental para superar as adversidades da vida, e elas também fazem parte do nosso dia a dia. 

UMA PITADA DE QUINTANA

Para encerrar, te deixo um poema do Mário Quintana, um dos meus poetas preferidos, para que você lembre que o tempo passa, a vida passa, e o que conta mesmo é a gente ser feliz!!...

O Tempo – Mário Quintana

A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas!
Quando se vê, já é sexta-feira!
Quando se vê, já é natal...
Quando se vê, já terminou o ano...
Quando se vê perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê passaram 50 anos!...
Agora é tarde demais para ser reprovado...
Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas...

Até mais!!

Marcia Cruz
marciacruz@dicasbemviver.com 


0 comentários: