FIQUE POR DENTRO!
LIFESTYLE DBV
RECEITAS DBV

MAIS NOTICIAS DBV

Ferraz Na Palma Da Mão: mais um produto Chatluk!


Gilson Cardoso, Djalma Celso Vitto, Daniel Balke, Caio Igarashi e Paulo de Tarso Amorim

O DBV CONFERE esteve no lançamento do guia FERRAZ NA PALMA DA MÃO, da Associação Comercial e Industrial de Ferraz de Vasconcelos - ACIFV, em São Paulo. O guia funciona através do WhatsApp, e não é grupo! 

O projeto é da empresa OPTIN/CHATLUK, que tem a revista CHATLUK MAGAZINE, no WhatsApp, lançada em 2 de abril de 2018, e que tem como Editora Responsável a jornalista e coaching Marcia Cruz, do Dicas Bem Viver, que também é diretora de marketing e operacional da empresa responsável pelo projeto. 

Quem também assina a empresa são os profissionais Henrique Marinho Couto (Diretor Presidente), Djalma Celso Vitto (Diretor Técnico e Novas Tecnologias), Milton Abdala (Diretor Administrativo) e Luiz Eduardo da Silva (Diretor Jurídico, presidente do IMAT - Instituto de Mediação e Arbitragem do Alto Tietê) e, pela Optin, Daniel Marino (Diretor Geral). A parte comercial é da empresa ROBOTNET Business, do empresário Paulo de Tarso Amorim.

O projeto é em parceria com a ACIFV, que tem como presidente o empresário Daniel Balke, e gerente Executivo, Gilson Cardoso.

Milton Abdala, Gilson Cardoso, Djalma Celso Vitto, Daniel Balke, Caio Igarashi, Paulo de Tarso Amorim e Romildo Campello
Daniel Balke, presidente da ACIFV
Luiz Eduardo da Silva e Daniel Balke
Paulo de Tarso Amorim 

Convidados aprovaram o Ferraz Na Palma da Mão

O evento contou a presença de algumas autoridades, como Romildo Campello (vice-presidente do CIESP do Alto Tietê), Paulo Alberto Galhotto Júnior (ex-prefeito de Ferraz de Vasconcelos e gerente geral do Sicredi), e de empresários como Paulo Takamua (Takamura Advogados), Luis Evandro Trevisani (Trevisani Terraplenagem), Pedro  Raquel (Ferraz Distribuidora Marmore), Adriana Mendonça (Plena Saúde), Jhenyfer Ferreira (Publicse), Emilene Ferreira e Leandro Sales Ideal (Ideal Contabilidade), Fabio Santos (Unip), Juliana Del Vale (Unip), Rosana M. (RM Consultoria), José Paulo R. Pereira (PDE Engenharia), Lourival Inácio Silva (presidente do Conselho do Idoso), José Isidro Neto (advogado), Sergio Rodrigues (imprensa), Caio Igarashi (Executivo de Contas do Ferraz Na Palma da Mão), entre outros. 



COMO FUNCIONA O FERRAZ NA PALMA DA MÃO

O sistema inclui um Menu fixo, que pode ser consultado através do próprio WhatsApp do guia (CLIQUE AQUI E ACESSE O SISTEMA!!), onde você vai digitando as opções desejadas e acessando o conteúdo, que conta com um GUIA DE COMPRAS, com diversas categorias de negócios que você pode consultar à vontade, sem taxas e sem ocupar espaço na memória do seu celular, pois ele funciona através do WhatsApp. 

Tem também a categoria EMPREGOS, com OFERTAS DE EMPREGOS de empresas em Ferraz de Vasconcelos e na região, além da parte de EMPREGOS DOMÉSTICOS, com indicação de profissionais para diversas áreas, como domésticas, babás, cuidadores de idosos, motoristas particulares, jardineiros, diaristas e muito mais!

Além disto, possui itens exclusivos da Associação, como Conheça a ACIFV, Palavra do Presidente, Você Sabia?, onde você conhece a diretoria,  os benefícios de ser associado, os parceiros da Associação e muito mais.

Clique AQUI e seja direcionado ao sistema, interagindo com o Luk, como é chamado carinhosamente o bot de atendimento do Chatluk.


SISTEMA CHATLUK: ATENDIMENTO NACIONAL

O sistema Chatluk atende EM TODO O BRASIL e a todo tipo de negócio. A empresa adapta o sistema ao interesse do cliente e, além do WhatsApp, também trabalha com a plataforma Telegram, e tem opções de WhatsApp Marketing, Wi-Fi Marketing, integração automatizada com redes sociais e muito mais. 

Temos projetos para empresas, associações de classe, prefeituras, câmaras municipais, igrejas, candidatos e muito mais! Inclusive temos um projeto especial para candidatos a vereador nas próximas eleições, em 2020.

SEJA QUAL FOR O SEU NEGÓCIO, solicite uma proposta pelo email: contatochatluk@gmail.com ou com a nossa diretora e colunista, Marcia Cruz, no email bymarciacruz@gmail.com .

E também cadastre-se no CHATLUK MAGAZINE (clique AQUI  e interaja com o Luk!), a sua revista no WhatsApp!! 



Até o próximo post!!


Roer unhas: um vício que precisa ser eliminado o quanto antes!


Segundo um estudo publicado na revista especializada Iranian Journal of Medical Sciences, o hábito de roer unhas afeta cerca de 20% a 30% da população mundial e é causado por motivos que variam de acordo com as pessoas, desde nervosismo, ansiedade, tédio, até fome e frustração. 

Um outro estudo, publicado em 2015 na revista científica Journal of Behaviour Therapy and Experimental Psychiatry, indica que o que move a onicofagia, termo técnico para o hábito de roer as unhas, não é a ansiedade, e sim o perfeccionismo. A pesquisa concluiu que o hábito pode ajudar pessoas perfeccionistas a diminuir a irritação, o tédio ou a insatisfação.

A genética é outra possível explicação para o hábito de roer as unhas. Pesquisas já mostraram que um terço das pessoas que roem as unhas tem familiares com o mesmo hábito e que isto é algo comum entre gêmeos.

Mas acho importante falarmos dos riscos do vício, que pode, e deve sim, ser enfrentado e vencido! Continua comigo na leitura!


RISCOS PARA A SAÚDE AO ROER UNHAS

Segundo a Academia Americana de Dermatologia (AAD) as infecções bacterianas causadas pelo hábito de roer as unhas são um dos problemas mais comuns. A paroníquia, por exemplo, é uma infecção da pele ao redor das unhas. É dolorosa e, em casos mais graves, pode necessitar de uma intervenção cirúrgica.

Outro problema causado pela prática é a deformação nos dentes, o desgaste prematuro e até mesmo a mudança de posição dos dentes, afetando a oclusão dental ou a mordida.

Confira essa lista e reflita, caso tenha esse vício!

1. Unhas são foco de bactérias

Sabia que suas unhas, por mais limpinhas e bem tratadas que pareçam, são cheias de bactérias? Uma das mais perigosas é a Staphylococcus aureus, que podem causar furúnculos e abscessos na pele e na boca.

Aliás, um estudo realizado em 2007, provou que pessoas que costumam roer as unhas estão mais propensas ao aumento no número de bactérias na boca e, por isso, a sofrer com mais quadros de diarreia e de vômitos.

2. Pode causar gengivite e mau hálito

Não só por causa das bactérias, mas quando você rói as unhas, a probabilidade de pedaços de unhas ficarem presos na gengiva é grande. Isso pode causar inchaço, vermelhidão, que podem evoluir para um quadro de gengivite.

Ainda por causa do acúmulo de bactérias, o hábito pode ser responsável também por seu mau hálito, caso sofra com o problema e roa as unhas.

3. Pode causar problemas nos dentes

Assim como as gengivas, os dentes podem acabar sofrendo danos quando você tem o hábito de roer as unhas. Como o hábito está associado ao estresse, é comum casos de pessoas que quebram dentes e até mesmo deslocam a mandíbula por causa do problema.

Especialistas também garantem que roer as unhas compromete a integridade do aparelho ortodôntico. Não é difícil pessoas que usam aparelho descolarem um ou mais brackets por causa disso.

4. Pode infectar outras partes do corpo

Nossas mãos tocam todo tipo de superfície ao longo do dia, incluindo outras partes sensíveis de nossos corpos, como a boca, os órgãos sexuais, os olhos e assim por diante. Então, todas as vezes que você rói as unhas, não está levando somente um número de bactérias sem fim para seu organismo, mas também sujeira de todo tipo, o que pode resultar em úlceras, bolhas e outras lesões infecciosas.

5. Esmaltes podem ser tóxicos

Se você for mulher, então, o risco de roer as unhas é ainda maior. Isso porque os esmaltes podem ser tóxicos. Em suas fórmulas são comuns ingredientes que prejudicam a saúde, como o formaldeído, substância é altamente tóxica e é usada para embalsamar mortos.

Não é TOC


A Associação Americana de Psiquiatria incluiu a onicofagia na lista de transtornos obsessivos-compulsivos (TOC), mas nem todos os psiquiatras concordam com isso. Alguns deles argumentam que apesar de a onicofagia ser, como no caso do TOC, uma conduta natural levada ao excesso, as obsessões do TOC são motivadas por ansiedade. O que não ocorre sempre nesse hábito.



UNHAS: CARTÃO DE VISITAS. CUIDE BEM DELAS!

A unha roída dá uma má impressão, sem esquecer que as unhas são um cartão de visitas. As unhas bem cuidadas e bonitas são reflexos de conceitos de higiene e segurança. São formadas basicamente de proteína chamada queratina, encontrada também nos cabelos e na pele. 

Mas cuidar das unhas vai além de alicates e esmaltes, também é preciso uma alimentação saudável, rica em proteínas e Vitamina A, para unhas fortes e bonitas. 

UNHAS: TERMÔMETRO DA SAÚDE

Por fim, as unhas também podem ser o termômetro que indica um problema de saúde. Quando há falta de cálcio no organismo elas ficam fracas e quebradiças.

A Academia Americana de Dermatologia define alguns sintomas:

Unhas sem cor: podem indicar anemia.

Unhas amareladas: podem ser sinal de diabetes.

Unhas com uma metade branca e outra avermelhada: podem ser sintoma de doenças renais.

No mais, como todo vício, roer unhas não é uma coisa fácil de largar, mas é necessário enfrentar e vencer o vício. 


DICAS PARA LARGAR O VÍCIO

Para ajudar a largar o vício de roer unhas, procure mantê-las limpas, evitando cortar muito a cutícula, que servem para proteção da unha, e pintadas, usando um esmalte de tratamento e de combate ao vício vendido em farmácias de manipulação, que possuem nutrientes e também um sabor amargo, para desestimular o vício.

Também é importante cuidar da ansiedade e observar em relação ao perfeccionismo, tratado na matéria, que apresenta o ato de roer unhas como uma forma de relaxamento.

Afinal, existem formas melhores de relaxar, não é mesmo?

Até o próximo post!

Afinal, quando introduzir o sal e o açúcar na comida do bebê?



Ter filhos é maravilhoso! E eu fico muito feliz com o crescimento da valorização da boa alimentação como base para a boa saúde desde a infância. E ajudar a promover essa ideia é um dos nossos objetivos aqui no DBV, pois quanto mais cedo a pessoa aprender a se alimentar de forma correta, melhor. 

O açúcar e o sal são dois ingredientes constantes no nosso dia a dia, e saber como usá-los, ou evitá-los, é de suma importância para sua qualidade de vida, como um todo, pois não adianta você chegar aos 70 anos prostrado numa cama, não é mesmo? E onde o aprendizado e a prática começa? Quanto mais cedo, melhor! E hoje eu vou me dirigir aos país e como eles podem (e devem!) ajudar seus filhos a aprenderem sobre boas escolhas alimentares. Vamos lá?


QUANDO INTRODUZIR O SAL E O AÇÚCAR NA COMIDA DO BEBÊ

A primeira coisa a se considerar é que se você quer ensinar seus filhos a terem uma alimentação saudável, o melhor é começar enquanto ele ainda é bebê. E, depois, manter com seu próprio exemplo o cuidado na escolha dos alimentos e bebidas para uma boa saúde.

O ideal é que a criança seja somente amamentada pelo menos nos seis primeiros meses de vida. Aproveite o período de licença maternidade para focar nisto e, é claro, a mamãe precisa cuidar, rigorosamente, da alimentação durante a gravidez e o período de amamentação.

Ao começar a introduzir papinhas e sopinhas, purês e mingaus, não precisa colocar sal. O bebê desenvolve suas papilas gustativas entre os 6 e os 24 meses e, a partir daí, vai interagindo mais com os sabores. Quanto mais cedo ele for acostumado a se alimentar com pouquíssimo sal, melhor. E com sal de boa qualidade, como sal marinho ou sal rosa do Himalaia. Cloreto de sódio, nem pensar! 

Ao introduzir chás e sucos de frutas, evite usar produtos processados, que têm conservantes, produtos químicos, sódio e açúcar embutidos. De preferência, faça o chá com ervas compradas em lojas de boa procedência ou da sua hortinha, e o suco da própria fruta, e da estação, que são mais naturais.  E sem açúcar! Se quiser, realmente adoçar, faça uso do xilotol ou adoçante similar, também saudável.

Pelo menos enquanto a criança ainda é muito dependente dos adultos para se alimentar, cuide para que ela tenha a melhor alimentação possível. 

Lembrando que o exemplo é sempre o melhor ensino!


AÇÚCAR: O VILÃO QUERIDINHO

O açúcar é o vilão mais queridinho, não é mesmo? Mas além de cáries, eles aumentam o risco de sua criança vir a ter obesidade infantil. E ele aparece sem avisar em forma de doces, biscoitos, refrigerantes e sucos de caixinhas e em todo alimento adocicado.

Acostume seu filho a consumir sobremesas mais saudáveis. Aqui no DBV temos diversas receitas. Confira e mãos à obra!

Até o próximo post!

Mediação Empresarial: Necessidade crescente! Relação com o advogado 4.0.


Por Luiz Eduardo da Silva*

É crescente a necessidade do empresário adaptar-se a novos tempos. Vários fatores interferem na condução de seu negócio, que precisa cada vez mais ser rentável, com custos menores.

O Direito vem evoluindo para colaborar com isso.

Estamos na era da advocacia 4.0, onde as mudanças tecnológicas impactam de forma decisiva, e definitiva, a forma das pessoas se relacionarem, negociarem e resolver suas desavenças.

É preciso que o empresário entenda que o Judiciário é hoje a última porta que deve ser aberta, pois é lento, tem custo elevado e não oferece a mesma segurança jurídica de outros tempos. Consome 1,4% do PIB. Detém 100 milhões de ações. Tem um prazo de resolução superior a 7 anos. E o que é pior. Custa anualmente R$ 500,00 para cada brasileiro.

As novas formas de resolver conflitos se agigantam. É importante que cada vez mais o aprimoramento da linguagem na comunicação seja determinante para a mudança de comportamento, que torne o ambiente de trabalho sempre voltado para a presença de atitudes construtivas.

A Teoria de Negociação desenvolvida em Harvard se notabiliza por levar  ao entendimento de que se deve separar os problemas das pessoas.  É o chamado construcionismo social.

Nessa visão o individualismo passa a vislumbrar a inclusão, o isolamento na noção sistêmica, a imposição adotando a composição, sem que haja desrespeito a hierarquia, sem gerar irresponsabilidades, sempre com tom de esclarecimento, e às vezes, de acolhimento.

E o trabalho do advogado passa a ser importante, na medida que alia essas práticas ao uso da tecnologia.

O uso da negociação e da mediação são essenciais já à partir deste momento às práticas do mercado de trabalho.

O avanço tecnológico permite que possamos, por exemplo, resolver problemas muito mais rapidamente com o uso do smartphone, com agilidade e pouca burocracia.

Assim, se o consumidor tem um problema, espera resolver diretamente com a empresa de forma amigável. As organizações se preocupam cada vez mais em disponibilizar canais de atendimento online para agilizar a resolução de problemas. A ferramenta do consumidor.gov.br tem se mostrado eficiente inclusive.


Arbitragem e Mediação. Solução desse momento em diante

Utilizar meios alternativos como a mediação e a arbitragem se torna cada vez  mais a forma mais adequada de resolver conflitos. Por serem extrajudiciais, sem que o Judiciário intervenha, possibilitam rapidez e flexibilidade. Além de segurança, evidentemente.

As partes elegem um terceiro, neutro e especialista, de forma a propiciar uma forma de em conjunto encontrarem uma solução cujo resultado seja mais justo. Até os custos devem ser divididos.

E isso é possível hoje com o uso da tecnologia, pois as partes já podem se comunicar online para discutir e assinar contratos, buscar informações, e estabelecer critérios de formatar qualquer negócio. Isso é feito com apoio das chamadas LawTechs.


Práticas Colaborativas

O uso da mediação e arbitragem, conduzem ao uso das chamadas práticas colaborativas. É quando para que se obtenha um resultado que atenda o interesse das partes envolvidas no litigio, há colaboração de equipes profissionais de outra áreas. Isso importa dizer que o cliente, além de ter um advogado com autoridade jurídica no assunto, pode ainda agregar outros especialistas, como psicólogos, assistentes sociais, contadores, engenheiros, médicos, etc.

Isso tudo implica dizer que a tecnologia não retira a necessidade de se humanizar o melhor atendimento às partes.


O resultado muitas vezes não exige deslocamento físico, mantém baixo o custo do procedimento adotado e permite solução que seja eficaz, atendendo o interesse que as partes buscam, preservando relacionamentos e negócios, como forma de exercer de forma plena a pacificação social.



* Luiz Eduardo da Silva

 - Advogado sócio da Temporini Silva Sociedade de Advogados

 - Especialista em Direito Arbitral

 - Árbitro e Presidente do IMAT - Instituto de Mediação e Arbitragem do Alto Tiete - São Paulo


Pão de mel saudável e low carb


De origem europeia, o pão de mel ganhou o mundo e os nossos corações. À base de mel, trigo, chocolate, manteiga, especiarias e ovos, o pão de mel foi sendo adaptado e hoje pode ser recheado com doce de leite, brigadeiro ou o que você preferir, além de ser coberto com chocolate. A versão saudável do Doce Saúde Fit é low carb e recheado com paste de amendoim ou geleia de frutas 100% natural. Confira!!

Ingredientes:

2 ovos
3 colheres (sopa) de cacau 100%
3 colheres (sopa) de farelo aveia
3 colheres (sopa) de água
2 colheres (sopa) de mel
1 colher (café) de canela em pó
1 colher (sopa) fermento em pó
1 colher (sopa) de óleo de coco

Recheio:

Pasta de amendoim ou geleia 100% de fruta

Cobertura:

50 gramas de barra de chocolate 50% ou mais

Modo de preparo

Massa: bata a mão o óleo de coco, ovos, e o mel. Acrescente o restante dos ingredientes e deixe o fermento por último. Unte as formas de pão de mel, despeje a massa, deixe assar em forno médio 180 a 200 graus, por cerca de 30 a 40 minutos. 

Pique o chocolate e coloque 1 colher de café de óleo de coco, leve ao micro-ondas em um pote de vidro, para derreter por 30 segundos, mexa e reserve. 

Após assados os pães de mel, abra-os ao meio e recheie com a pasta de amendoim, feche-o com cuidado, e cubra-os com o chocolate derretido, leve à geladeira para secar a cobertura e aprecie com moderação.

Dica: Alto Astral

Pão Nuvem Lowcarb


O pão é uma delícia, no café da manhã, no lanche... Mas é preciso fazer boas escolhas para saciar a vontade sem perder de foco a saúde. Por isso, hoje eu trago para você a receita de Pão Nuvem Lowcarb, feito com cream chesse ou outro queijo cremoso de sua preferência. Acrescente ervas secas e dê um up na sua receita!

Para fazer uma versão doce, coloque cacau em pó (de qualidade, pelo menos 70% de cacau) e adoçante (xilitou ou stevia). 

Confira a receita!!

Ingredientes

3 Gemas de Ovos
3 Clara de Ovos
50g de Cream Chesse (ou outro queijo cremoso)
¼ xícara (chá) de Queijo Parmesão Ralado
¼ colher (chá) de Fermento Químico em Pó
Sal

Modo de Preparo

Então coloque na tigela 3 gemas, 50g de creamcheese, ¼ xícara (chá) de Queijo Parmesão, 1 Pitada de Sal e bata até ficar bem homogeneo.

Em outra tigela coloque as claras, ¼ colher (chá) de fermento químico em pó e bata até formar claras em neve firmes.

Junte os creme misturando cuidadosamente para não perder o ar, acomode porções formando um circulo em uma forma forrada com papel manteiga e untada e leve para assar em forno pré-aquecido a 200°C por 25 minutos. Assim que terminar desligue e abra o forno e deixe lá por mais 10 minutos para esfriar e é só aproveitar.

Observações:

OUTROS SABORES: Se você quiser pode adicionar ervas secas ou cacau em pó e adoçante para fazer uma versão doce.

CONSERVAÇÃO: Guarde em um saquinho plastico para manter fofinho em temperatura ambiente por até 2 dias ou na geladeira por 5 dias e na hora de consumir coloque na sanduicheira ou na frigideira para dar uma torradinha.

Dica: Receitas de Minuto.

Bom apetite!!

Bolo de cenoura com cobertura de chocolate: low carb!! Se jogue!!


Vamos combinar? Bolo de cenoura com cobertura de chocolate é mesmo irresistível!! Mas como a saúde precisa estar em primeiro lugar, a gente busca opções de receitas que amamos, só que com ingredientes mais saudáveis.

Por isso, se como eu, você ama esse bolo, corre e confere os ingredientes!!

INGREDIENTES

Massa

3 cenouras médias
3 ovos
1/2 xícara (chá) de adoçante culinário
1 xícara (chá) de farinha de coco
3 colheres (sopa) de óleo de coco
1 colher (sopa) de fermento em pó

Cobertura

1 xícara (chá) de creme de leite fresco ou nata
2 colheres (sopa) de manteiga ghee
3 colheres (sopa) de cacau em pó sem açúcar
2 colheres (sopa) de adoçante culinário

Modo de preparo

Comece a receita descascando e cortando as cenouras em rodelas.

No liquidificador, bata as cenouras com o os ovos, o adoçante culinário e a farinha de coco até obter uma massa bem lisa e homogênea, sem pedacinhos de cenoura.

Despeje o conteúdo do liquidificador em uma tigela e acrescente a farinha de trigo.

Com ajuda de uma espátula, misture bem, sempre de baixo para cima até que ela esteja completamente incorporada.

Por último, adicione o fermento em pó para bolo e misture.

Unte uma forma com um pouco de óleo de coco e despeje a massa.

Leve para assar em forno preaquecido a 200º C por aproximadamente 20 minutos, ou até o palito sair limpo ao ser espetado no bolo.

Espere esfriar para desenformar.

Cobertura

Em uma panela, derreta a manteiga ghee e acrescente o creme de leite fresco ou nata, o adoçante culinário e o cacau em pó sem açúcar.

Misture bem até ficar homogêneo e leve para cozinhar em fogo baixo.

Cozinhe, misturando sempre, até obter o ponto de brigadeiro mole.

Espalhe a cobertura por cima do bolo e sirva!

Dica: Tudo Gostoso.

Bom apetite!!

Pizza Marguerita Low Carb com Massa de Couve-flor


Essa pizza é muito deliciosa, com massa de couve-flor!! É bem fácil de fazer. Confira os ingredientes e mãos à obra!! 

INGREDIENTES DA MASSA

1 xícara couve-flor ralada
1 xícara queijo muçarela ralado
1 ovo
sal
alho
orégano

RECHEIO

muçarela de búfala a gosto
1 tomate em rodelas
manjericão a gosto

MODO DE PREPARO

Rale bem a couve-flor.

Coloque a couve-flor ralada em uma xícara e leve ao micro-ondas (sem água) por 2 minutos

Deixe esfriar

Misture a couve-flor com o queijo muçarela ralado e o ovo

Tempere com sal, alho, orégano e misture mais

Unte bem uma assadeira

Modele a massa na assadeira

Leve para assar em forno preaquecido até as bordas começarem a dourar.

Retire a massa e cubra com tomate, muçarela de búfala e manjericão

Devolva ao forno e retire assim que o queijo estiver derretido

Bom apetite!!

A Mediação nas Desapropriações


Por Luiz Eduardo da Silva*

Uma importante medida foi adotada pelo Governo Federal neste mês de agosto, ao promulgar a Lei 13.867/19, que autoriza o uso da mediação e da arbitragem nas desapropriações que estiverem a cargo do Poder Público no território nacional.

A lei de desapropriações vigente data de 1940, e em que pese considerar como regrar a recomposição do patrimônio e a justa indenização, não é o que ocorre em diversos casos. Os processos são morosos e muitas vezes as avaliações não refletem o valor de mercado do imóvel desapropriado, e tampouco se leva em conta o custo indireto que o expropriado tem que assumir quando é afetado pela necessidade de desocupar em nome de um serviço de utilidade pública.

A lei aprovada acena positivamente pois para desapropriar, o ente público deverá notificar o particular a ser desapropriado, enviando uma proposta de indenização.

O particular pode optar – e deve efetivamente – por uma mediação ou arbitragem, para que a discussão do quantum da indenização não chegue ao Judiciário.

Deverá haver cadastro de Câmaras de Mediação e Arbitragem, junto aos entes públicos, para que possam conduzir o procedimento, quer seja para uma composição mais rápida, quer para que se decida em arbitragem, que é uma forma de obter-se decisão efetiva, sem depender do Judiciário.

Pelo texto da lei, a utilização da modalidade é obrigatória pelo Poder Público, sendo facultativa ao particular, contudo, a este é quem mais favorece, pois não ficará refém duplamente do Estado, que primeiro deve indenizar, e no Judiciário, julgar o valor correto, sabe-se lá em quantos anos. Vale dizer que as desapropriações no Judiciário são lentas e demoram anos, e o prejudicar é o particular.

Abre-se sem dúvida um grande meio de se avançar à prática do uso do direito nesse campo expropriatório, até porque aos advogados diligentes e conhecedores do sistema extraprocessual que envolve a mediação e arbitragem, atenderão melhor seus clientes e sem dúvida diminuirá a atual injustiça existente quando se refere à indenização advinda de desapropriações, pois como dito, sempre fica distante de números justos e efetivamente reparadores.


* Luiz Eduardo da Silva

 - Advogado sócio da Temporini Silva Sociedade de Advogados

 - Especialista em Direito Arbitral

 - Árbitro e Presidente do IMAT - Instituto de Mediação e Arbitragem do Alto Tiete - São Paulo

FALAR BEM CONECTA



Saber se comunicar é fundamental! É importante transmitir suas opiniões de forma clara, inteligente, autêntica, mas também com confiança.

E o Dicas Bem Viver indica o curso de comunicação Falar Bem Conecta, que irá te ajudar a melhorar seus relacionamentos e aumentar sua reputação. 


Sessão 1 - Mais Persuasão - Controlando o Volume e Frequência da sua Voz! Nesta Sessão, você terá exercícios poderosos e de fácil aplicação para se comunicar com mais clareza e equilíbrio. 

Sessão 2 - Comunicação que Conecta - Expressão Corporal e seu poder de comunicar o que as pessoas querem. Você aprenderá o quanto os gestos e a comunicação direcionada para cada pessoa e situação podem aumentar em até 45% seus resultados. 

Sessão 3 - Segurança e Confiança - Técnicas e Estratégias de Objetividade e Certeza. Irei te apresentar os 4 pilares estratégicos para uma apresentação natural, confiante e eficaz. 

Sessão 4 - Apresentações Poderosas - Construindo diálogos e influência. Através de um método fácil e prático, agora você irá criar um roteiro com um começo, meio e fim surpreendentes.



Para saber mais sobre o FALAR BEM CONECTA, clique aqui!! 








"Nunca se prepare quando você precisa estar pronto" - Ricardo S

Acabou a desculpa! Conheça 15 farinhas saudáveis que podem substituir o trigo.


Quando o assunto é saúde, a farinha de trigo branca deixa a desejar. Pobre em nutrientes e com alto índice glicêmico, o ingrediente se compara ao açúcar – seu consumo em excesso favorece o ganho de peso e, por consequência, pode ser um pontapé e tanto para o desenvolvimento de diabetes.

O alimento ainda é um vilão para quem sofre com prisão de ventre, já que pode agravar a situação. Uma boa opção para fugir desses problemas e ter uma alimentação mais saudável é substituir o ingrediente por outros mais nutritivos. 

Por isso, conheça os benefícios de 15 farinhas alternativas, bem mais saudáveis, e saiba em quais receitas elas se encaixam melhor.


Farinha de grão-de-bico

Trata-se de uma ótima opção para incluir proteínas na alimentação. Como ainda concentra fibras e vitaminas aos montes, é considerada uma das mais nutritivas. É uma das que melhor se adapta aos preparos que tradicionalmente usam farinha de trigo, principalmente em pães. 


Farinha de banana-verde

Fonte de amido resistente – que não é absorvido pelo intestino –, auxilia no funcionamento intestinal, colaborando assim para o controle do peso, do diabetes e do colesterol. O ingrediente vai bem como complemento de pães, tortas e adicionada em sucos e vitaminas. Ou seja, você precisa usar outra farinha como base da receita.


Farinha de coco

O alimento funcional preparado a partir da polpa da fruta, também é uma ótima alternativa para os celíacos, por ser livre de glúten. É rica em fibras, auxilia na digestão e reduz os riscos de diabetes. É um ótimo ingrediente para acrescentar nas receitas de bolo.


Farinha de maracujá

Uma das vantagens das farinhas de frutas é que elas são preparadas com a fruta inteira, casca, polpa e semente, unindo todos os nutrientes da fruta em um só alimento. A farinha de maracujá é responsável por ajudar a diminuir os níveis do colesterol, auxilia na digestão e previne o diabetes. Pode ser incluída em sucos e iogurtes.


Farinha de amêndoas

É indicada para o preparo de bolos e biscoitos. Rica em vitamina E (30 g possui cerca de 35% da quantidade diária indicada), a farinha auxilia no combate aos radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento precoce. “Fonte de gorduras boas e com alto poder antioxidante, o ingrediente protege o coração e a pele. Ela ainda aumenta o poder de saciedade das preparações”, garante Flavia Melo Pontieri, professora do curso de Nutrição da Faculdade Anhanguera de Anápolis (GO).


Farinha de aveia

Pode ser usada no preparo de bolos, pães e biscoitos, substituindo perfeitamente o trigo. O ingrediente é rico em fibras, que auxiliam o bom funcionamento do intestino, além do controle do colesterol. A aveia ainda é excelente para os diabéticos, já que ajuda absorver o açúcar do sangue, mantendo a glicemia sob controle. Algumas farinhas de aveia contêm glúten. Por isso, celíacos devem ficar atentos antes de consumi-la.


Farinha de arroz

Pães, tortas, biscoitos, massa de macarrão… Todas essas opções podem ser preparadas com a farinha de arroz. “O ingrediente é fonte de proteínas vegetais, de carboidratos complexos e de fibras”, afirma Flávia. As proteínas ajudam na recuperação muscular; os carboidratos complexos liberam energia lentamente e não geram um pico no índice glicêmico; já as fibras controlam o colesterol, além de favorecer o bom funcionamento do intestino.


Farinha de linhaça

Ideal para acrescentar em sucos, vitaminas e até no feijão. Ela também pode ser adicionada em preparos como pães, biscoitos e bolos. Nesses casos, o ideal é misturá-la com outra farinha, como a de aveia. Em relação aos benefícios, ela é conhecida, em especial, por ser fonte de ômega 3, uma gordura boa que auxilia na diminuição do colesterol e, por consequência, na saúde do coração. O ingrediente também ajuda a minimizar dores pós-treino.


Farinha de sorgo

Embora seja mais conhecido na Europa do que por aqui, esse grão tem composição nutricional semelhante à do milho — com mais proteínas e fibras e menos gordura. Ele ainda fornece minerais como ferro, cobre, fósforo e potássio. Agora, a farinha tem sabor mais forte e deixa as receitas um pouco mais secas, o que pode ser compensado pela adição de líquidos. Prepare bolos, pães, biscoitos e panquecas com ela.


Farinha de maca peruana

Mais conhecida no universo fitness, essa farinha está ganhando espaço entre nutricionistas por suas doses fartas de fibras, vitaminas, zinco, cálcio e ferro. Como ajuda a modular os hormônios, tem fama de afrodisíaca. A farinha, feita com uma planta que lembra o rabanete, carrega carboidratos, garantindo o pique e a energia de quem se exercita regularmente. É deliciosa em vitaminas.


Farinha de soja

Excelente para substituir a farinha de trigo em preparos como massas, molhos, pizzas, bolos ou tortas. A farinha tem gosto neutro, não alterando o sabor das receitas. Para as corredoras, o ingrediente oferece um benefício especial: “Por ser fonte de proteínas e fitoestrógenos, ela auxilia na resposta hormonal de mulheres próximas à menopausa”, ressalta a nutricionista.


Farinha de quinoa

Diferente das farinhas de aveia, arroz e linhaça, por exemplo, a de quinoa tem um sabor mais acentuado. Por isso, quem não está habituado com o gosto do alimento, o ideal é fazer substituições graduais: se a receita pede 2 xícaras de farinha de trigo, experimente colocar 1 e ½ da farinha de sua preferência e ½ de quinoa. Assim, é mais fácil se acostumar ao sabor. O alimento é uma ótima opção para quem corre, já que é fonte de proteínas, importantes para a regeneração muscular. As fibras, por sua vez, mantêm a sensação de saciedade por mais tempo, facilitando o processo de emagrecimento.


Farinha de chia

“Rica em vitaminas e minerais e pobre em gordura, a chia auxilia na perda de peso, no controle de colesterol e do diabetes. Pode ser usada em vitaminas, sucos, bolos, tortas e várias outras preparações. Deve ser triturada antes de utilizada, e também hidratada, para aumentar o seu aproveitamento”, recomenda Flávia.


Farinha de berinjela

Vitaminas, bolos, pães… A farinha de berinjela pode substituir a versão de trigo sem problemas. O alimento possui baixo valor calórico e alto teor nutricional. Por ser rico em fibras, promove o aumento da saciedade, melhora o controle do diabetes e do colesterol e ajuda na manutenção do peso.


Farinha de tapioca

Ótima para preparo de bolos, biscoitos e tapioca, é claro. “Rica em carboidratos, é uma boa fonte de energia, para antes ou depois do treino. Mas não deve ser consumida isoladamente, pois sua digestão é rápida e pode causar fome rapidamente”, alerta a nutricionista.

Com tantas opções, não há mais desculpa em substituir a farinha de trigo, não é mesmo?

Mãos à obra!! Experimente as farinhas mais saudáveis e identifique as que mais gosta, adicionando-as na sua dieta, no dia a dia.