FIQUE POR DENTRO!
RECEITAS DBV

MAIS NOTICIAS DBV

Qual a diferença entre um nutricionista e um nutrólogo?


Por Priscilla Dutra*

Muita gente não sabe ao certo qual a função de um nutrólogo, por isso acho conveniente explicar aqui um pouco sobre a minha área de atuação, uma especialidade médica que vem crescendo ano a ano. Cada vez mais pessoas, dos mais variados perfis e faixa etária, nos procuram para receber orientações relacionadas a obesidade, ganho de massa muscular, desempenho esportivo, alimentação saudável, entre outras.

Mas esse também não é o tipo de orientação que se tem de um nutricionista? Também, e por isso muitas pessoas se perguntam: qual a diferença entre um nutricionista e um nutrólogo? Bom, a primeira diferença está na graduação. O nutrólogo é formado em medicina, e depois faz uma especialização em nutrologia médica. Já o nutricionista é graduado em nutrição e pode se especializar em diferentes especialidades nessa área (esportiva, funcional, clínica, etc.).

As duas áreas estão ligadas à alimentação, mas com enfoques diferentes.

Nós nutrólogos, por exemplo, somos capacitados para diagnosticar problemas que podem ser o motivo do ganho ou perda de peso de um paciente. O objetivo não é apenas fazer com que a pessoa emagreça ou ganhe peso, mas sim descobrir o que está acontecendo com o organismo desse paciente. Assim, depois de analisar todas as causas, propomos um tratamento adequado e especializado.

Entender de nutrição é apenas um dos conhecimentos que o nutrólogo precisa ter. Como médicos, precisamos relacionar o problema do paciente com outras áreas, como oncologia, cardiologia, medicina esportiva, entre outras. Temos conhecimento para diagnosticar e tratar qualquer tipo de doença relacionada à alimentação e aos hábitos de vida, como anemia, diabetes, câncer, obesidade, hipertensão, tireopatias, pausas hormonais, etc. Outro diferencial é que apenas os nutrólogos têm condições de medicar o paciente se necessário, além de poder solicitar exames específicos, se for o caso, e encaminhar para outra especialidade.

Porém, ao meu ver, as duas áreas se complementam! O nutricionista tem um conhecimento muito mais específico sobre os alimentos, enquanto o nutrólogo tem um enfoque maior em identificar as deficiências e fazer um possível diagnóstico. Sendo assim, acabamos desenvolvendo um trabalho de comunhão e parceria, onde o nutrólogo poderá solicitar ao nutricionista uma dieta específica e adequada para as deficiências de um paciente com perda de peso, por exemplo. 

Resumindo: somos profissionais que atuamos na mesma área, com conhecimentos específicos que juntos conseguem otimizar ainda mais os resultados buscados pelos pacientes.


* Priscilla Dutra

É médica nutróloga, com atuação na área de medicina integrativa, emagrecimento e performance esportiva. Atleta amadora, pratica triathlon há oito anos, tendo já participado de quatro Ironman e 12 meio Ironman (70.3), além de algumas maratonas, corridas de aventura e outros desafios, nos quais várias vezes subiu ao pódio da sua categoria.

Spirulina e chlorella: entenda as diferenças e os benefícios destes superalimentos e aproveite receitas!


Aqui no DBV a gente gosta de falar da boa alimentação, mais saudável e nutritiva. E hoje a gente traz para você informações sobre dois superalimentos: Spirulina e Chlorella. Ambas são verdes, uma é bem mais escura do que a outra, e normalmente a gente as encontra em cápsulas, comprimidos ou em pó, que podem ser usadas em receitas, como as duas que você vai ganhar, no final do texto.

E porque elas são chamadas de superalimentos? Pela alta densidade nutritiva! Uma pequena porção diária abastece seu corpo com vitaminas e minerais, além de proteína vegetal. Mas elas têm funções diferentes e é isso que vamos falar a partir de agora, mostrando as principais diferenças e benefícios de cada uma. Me acompanhe!



Chlorella: detox e renovação

A chlorella é uma alga marinha unicelular e o alimento mais rico em clorofila do mundo, o que significa dizer que ela nos ajuda a limpar o sangue e os tecidos, ajudando na desintoxicação. 

Por conter uma concentração extremamente forte de PPAR (receptores ativados por proliferador de peroxissoma) alfa, beta e gama, que são conhecidos por regular o nosso metabolismo, a Chlorella também fortalece nosso sistema imunológico, ajudando a promover a boa saúde de forma geral.

Ela é rica também em sais minerais, como potássio, cálcio, magnésio, ferro, zinco, selênio e fósforo. O ferro, por exemplo, está na composição de muitas proteínas e enzimas.

Cerca de 60% da sua composição é de proteína vegetal, sendo uma boa opção para quem não consome nada de origem animal. Bastam três gramas de chlorella para atender a necessidade diária de vitamina B12.

Ela também é rica em triptofano, o aminoácido responsável pela produção da serotonina, conhecida como o hormônio do bem-estar, e que também possui o FTC - Fator de Crescimento Chlorella, que estimula a produção e reconstrução de tecidos, a aceleração do processo de cicatrização e recuperação de lesões, e também no fortalecimento de ossos, no crescimento e desenvolvimento de crianças e adolescentes e no retardamento do processo de envelhecimento. 

Quantas maravilhas, não é mesmo? Realmente, um superalimento!  


Spirulina: nutrição e boa forma

Já a spirulina não é uma alga, mas uma cianobactéria cheia de fibras, proteínas, vitaminas (entre elas A, B1, B2, B6 e K), minerais essenciais (como ferro, cálcio e magnésio), ácidos graxos, ácidos nucleicos (RNA e DNA), polissacarídeos e antioxidantes. Ela tem poucas calorias e é uma fonte completa de proteínas. Tem mais proteína por grama do que qualquer outro alimento natural (70% do seu peso) – carnes (15-25%), soja (35%) e ovos (12%) perdem para ela. Mais uma opção excelente para quem não come proteína animal.

A spirulina ainda tem mais betacaroteno do que a cenoura e apresenta um aminoácido chamado de fenilalanina, que participa dos processos que regulam a ingestão de alimentos e na sensação de saciedade, contribuindo para a perda de peso. 

Ela também é uma das melhores fontes de GLA (ácido gama-linoléico), uma boa gordura que é essencial para o cérebro e função cardíaca saudáveis. E, por suas altas concentrações de ficocianina (fitoquímico), pode ajudar a prevenir o câncer.

De fato, outro superalimento!

Onde comprar

É possível encontrar spirulina e chlorella em lojas e mercados naturais (em pó, comprimidos ou em cápsulas) e sites de venda de suplementos alimentares. 

MAS, ATENÇÃO, segundo normas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, é proibido o consumo dos dois alimentos por grávidas, lactantes, crianças menores de 12 anos e fenilcetonúricos (pessoas que têm intolerância a fenilalanina) sem prescrição médica!!

No geral, é sempre importante conversar com seu médico sobre suplementação, pois cada organismo tem suas necessidades e um profissional qualificado e de sua confiança vai poder te orientar na quantidade e no tempo de uso. Particularmente, eu gosto muito de ortomolecular, endocrinologista ou nutrólogo (médico com especialização em nutrição) para suplementar, pois são necessários exames específicos para saber as necessidades reais do seu corpo.

Receitas com spirulina e chlorella

Além das receitas, a seguir, experimente adicionar estes ingredientes a sucos, smoothies, saladas e pratos frios. Neste caso, converse com seu nutricionista ou peça algumas dicas ao seu médico, como forma de suplementar também através da alimentação!


Smoothie de Spirulina

Ingredientes

1/2 xícara de iogurte da sua preferência (ou kefir,  se for vegano)
1 copo de leite de soja (ou água, ou água de coco ou suco de fruta – maçã, laranja ou abacaxi)
1 papaia
1 pêssego
1 manga
1/2 xícara de framboesa, ou mirtilos, ou amoras
2 colheres de chá de spirulina

Modo de preparo

Coloque todos os ingredientes no liquidificador e bata até ficar da espessura do seu gosto. Deve ser servido na hora.



Pesto de Chlorella (acompanhamento para bruschettas, macarrão, risotos ou saladas)

Ingredientes

2 xícaras de manjericão fresco
1 colher de sopa de chlorella
1/2 cabeça de alho
1/4 de xícara de azeite
1/2  xícara de queijo parmesão
1/4 de xícara de pinhões, ou nozes ou castanhas
1 colher de sopa de suco de limão
450g de massa

Modo de preparo

Coloque a chlorella, o manjericão, o alho e o azeite em um liquidificador e bata até ficar com a consistência de um purê. Torre levemente os pinhões no azeite. Adicione o queijo, o suco de limão e os pinhões ao purê e bata novamente até ficar homogêneo. Faça o macarrão à parte e sirva com o pesto.

Bom uso das informações e até a próxima postagem!

Como fazer dieta paleo


Conhecida também por dieta do paleolítico, dieta da idade da pedra, dieta do caçador e ainda por dieta do homem das cavernas, a dieta Paleo baseia-se na ideia de que devemos consumir os alimentos que nossos ancestrais consumiam, ou seja, os alimentos da era paleolítica.

É uma dieta baixa em carboidratos com o foco maior no consumo de proteínas e gorduras, nutrientes que causam maior saciedade. Pode-se comer à vontade os alimentos permitidos até que se sinta saciado, não tendo que seguir aquela regra de comer de 3 em 3 horas. Pelo contrário, deve-se comer sempre que sentir fome e a quantidade que quiser, uma vez que não há necessidade de contar calorias ou de se preocupar com a gordura naturalmente presente nos alimentos.


Quais alimentos são indicados na dieta paleo?


A dieta Paleo tipicamente inclui os alimentos que podiam ser obtidos através da caça e da coleta. Confira quais são os alimentos permitidos, proibidos e que devem ser consumidos com moderação:


Alimentos permitidos na dieta Paleo:

Carnes;
Peixes;
Frutas (preferivelmente as de baixo índice glicêmico, como cereja, damasco, maçã, pera e ameixa);
Legumes;
Nozes;
Gorduras naturais (como coco, azeite de oliva e manteiga).
Produtos fermentados (como iogurte natural com gordura, queijos e coalhada) e os ricos em gorduras (como nata e manteiga).

Alimentos proibidos na dieta Paleo:

Leguminosas (feijão, grão de bico, lentilha, amendoim, soja, ervilha);
Alimentos com amido (pão, massas e batata);
Grãos e cereais (arroz, trigo, centeio, milho, aveia);
Açúcar refinado;
Alimentos processados.

Alimentos que devem ser consumidos com moderação:

Raízes (mandioca, batata inglesa, batata doce).


Cardápio para dieta paleo


Café da manhã: uma ótima opção é consumir ovos, sejam eles mexidos, fritos, cozidos ou ainda omeletes preparados com azeite e salsa picada, uma porção de fruta, chás, castanhas, abacate, bacon com moderação.

Lanches: opte por porções das castanhas de sua preferência ou frutas silvestres como os morangos, frutas da época, palitos de cenoura ou aipo, fatias de abacate e tomate, mix de uvas passa e amêndoas, coco fresco em lascas.

Almoço: o segredo aqui é escolher as verduras que você mais gosta, preparadas da melhor maneira que agrade ao seu paladar. Abuse das folhas: rúcula, agrião, couve, alface, acelga, espinafre, repolho, mostarda, escarola. 

Algumas sugestões de refeições: salada caeser com frango, temperada com azeite e limão; salmão grelhado com brócolis, couve flor, pepino e tomate; costela suína com salada de espinafre e ovos com molho de tomate. Chá de hortelã ou de ervas para acompanhar.

Jantar: o peito de frango vai muito bem acompanhado de brócolis, cenoura e alcachofra cozidos; “Sanduíche” sem pão, com hambúrguer caseiro, ovo, queijo, bacon, alface, tomate e cebola; Espaguete de abobrinha com molho de tomate e um peixe grelhado de sua preferência ou uma sopa de legumes com frango.

Até a próxima postagem!



Dicas para desinchar o corpo depois das comilanças das festas de final de ano.


Vamos confessar: realmente é muito difícil resistir à comilança nas festas de final de ano. São confraternizações, encontros em família e as tradicionais ceias natalina e do réveillon. Agora, é tempo de dar uma desinchada no corpo e aproveitar o verão. 

Confira as dicas da nutricionista clínica esportiva, Bruna Burti e também da nutricionista clínica funcional, Fernanda Granja, para acabar com essa sensação de inchaço e colocar a roupa de banho de forma mais confortável e elegante. 

1. Alimentos e bebidas proibidos: Nos períodos de pós festa, tire do cardápio frutas, açúcares e bebidas alcoólicas. De acordo com as nutricionistas, também devem ficar fora do seu cardápio alimentos industrializados, com altas quantidades de sódio, o trigo e o leite.

2. Aposte nos alimentos certos: assim como alguns alimentos aumentam a sensação de inchaço e devem ser evitados, outros podem ajudar a diminuir essa sensação, como o pepino, agrião, aspargo, tomate, berinjela, melancia, kiwi, abacaxi, morango e limão. Segundo Bruna, esses alimentos são diuréticos e ajudam a potencializar os efeitos nesse processo.

3. Água e chás: todo mundo já sabe que é essencial beber pelo menos 2 litros de água durante o dia. A água faz toda a diferença também do processo de desinchar e elimina toxinas. O chá também pode ser um grande aliado, aposte nos de hortelã, gengibre, cidreira, cavalinha e hibisco. "O chá de hibisco dá para tomar quente ou gelado. Eu aconselho fazer um dia antes e levar 1 litro geladinho para a praia. É gostoso e diurético", aconselha Fernanda, ressaltando que é importante não consumir mais que essa quantidade.

4. O poder das fibras: uma alimentação rica em fibras ajuda a evitar prisão de ventre, consequentemente ajuda no processo de desinchar. "Inclua sementes em suas refeições, como a chia e linhaça para auxiliar a combater a constipação intestinal", indica Bruna ao site da revista Glamour.

5. Exercício físico: depois da comilança, praticar exercício ajuda a suar, acelera o metabolismo e melhora a circulação. Aposte em uma atividade que lhe dê prazer, pode ser aeróbico, como corrida, natação e danças, ou musculação.

Bem, agora é correr atrás do prejuízo. Aproveite as dicas e vamos à ação!!

CLIQUE AQUI e também confira 10 receitas de sucos detox para perder quilinhos extras!

Até o próximo post!

10 Receitas de sucos detox para perder quilinhos extras!


Na ultima postagem a gente trouxe algumas dicas de como desinchar o corpo após as festas de final de ano (CLIQUE E CONFIRA!). Agora, a gente traz 10 receitas de sucos detox para você perder os quilinhos extras e curtir de boa o verão!

Opção 1: suco detox de couve, laranja e gengibre 

Ingredientes

750 ml de água
4 colheres (sopa) de couve cortada com o talo
2 laranjas cortadas em cubo
1 colher (sobremesa) de gengibre ralado
Açúcar demerara (sem aditivo químico) ou mascavo a gosto
1 limão espremido a gosto

Modo de preparo

Bata no liquidificador a água junto com a couve, laranjas e gengibre. Após bem batido, coe, adoce com o açúcar demerara ou mascavo, ou adoçante, e adicione gotas do limão e gelo.

Opção 2: suco detox de couve, limão e maçã 

Ingredientes

500 ml de água gelada
2 folhas de couve
1 maçã com casca
1 limão
Gengibre a gosto
10 folhas de hortelã

Modo de preparo 

Bata todos os ingredientes no liquidificador.

Opção 3: suco detox de couve, laranja e água de coco 

Ingredientes 

400 ml de água de coco
1 folha de couve manteiga picada
1 laranja sem casca
Pedaço de 1 cm de gengibre picada
Folhas de hortelã a gosto

Modo de preparo 

Bata todos os ingredientes no liquidificador até formar uma espécie de massa verde. Em seguida, coe e adicione gelo.

Opção 4: suco detox de melancia, pepino e limão 

Ingredientes 

1/4 de melancia cortada em cubos
10 rodelas de pepino
1 limão espremido
Lascas de 1 gengibre

Modo de preparo 

Bata tudo no liquidificador e adicione gelo.

Opção 5: suco detox de limão e hortelã 

Ingredientes 

500 ml de água gelada
1 limão com casca
5 raminhos de hortelã
Açúcar mascavo ou adoçante a gosto

Modo de preparo 

Bata tudo no liquidificador.

Opção 6: suco detox de repolho roxo e maracujá 

Ingredientes 

400 ml de água
2 folhas de repolho roxo
1 maracujá
Adoçante

Modo de preparo 

Após lavar as folhas do repolho e retirar a polpa do maracujá, adicione a água e bata tudo no liquidificador. Coe e adoce.

Opção 7: suco detox de couve, banana, laranja e camomila 

Ingredientes 

2 folhas de couve
Meia banana caturna (quanto mais madura melhor)
Suco de meia laranja
1 copo de chá de camomila gelado
1 colher (sopa) de açúcar mascavo (se achar o suco amargo)

Modo de preparo 

Rague as folhas de couve e coloque no liquidificador. Adicione os outros ingredientes e bata. Se achar necessário, coe e adoce.



Opção 8: suco detox de beterraba e limão 

Ingredientes 

500 ml de água
1 beterraba grande
1 limão
Adoçante

Modo de preparo

Retire a casca da beterraba, corte em lascas e reserve. Em seguida, faça o mesmo com o limão, divida em duas partes e reserve. Bata tudo no liquidificador por 40 segundos em velocidade máxima.

Opção 9: suco detox de kiwi, laranja e hortelã 

Ingredientes

200 ml de água
1 kiwi
1 laranja
10 folhas de hortelã
1 colher (chá) de açafrão em pó

Modo de preparo

Após descascar o kiwi e o limão (opcional), corte-os em cubo. Bata todos com a água no liquidificador. Acrescente as folhas de hortelã e a colher de açafrão. Coe assim que o líquido ficar homogêneo.

Opção 10: suco detox de uva, maçã e abacaxi 

Ingredientes

250 ml de água
1 maçã gala
2 fatias de abacaxi
10 uvas verdes sem sementes

Modo de preparo

Retire apenas as sementes da maçã e bata todos os ingredientes no liquidificador.

Bom detox! E até a próxima postagem!