DBV,

Café e sua relação com nossa produtividade

28 junho Marcia Cruz 0 Comments


Muito interessante uma análise feita em cafeterias na Noruega, Austrália, Reino Unido e nos Estados Unidos, que constatou que um número crescente de cafeterias tem se adaptado ao crescimento de profissionais liberais e nômades digitais que gostam de trabalhar ou fazer reuniões enquanto tomam alguns cafezinhos. Atendendo a esta demanda, as cafeterias tem se preocupado em aumentar o número de ofertas de tomadas e de carregadores portáteis para celular, além de oferecem um bom serviço de wi-fi, necessidades essenciais destes consumidores.

Um outro detalhe interessante observado é que o ruído de fundo de baixo nível encontrado frequentemente em cafeterias pode ser benéfico para o nosso pensamento criativo. Para quem trabalha em home office, também acrescenta-se o fato do profissional sentir-se estimulado por estar cercado por outras pessoas, e, no geral, profissionais gostam de fazer reuniões em cafeterias também por mudar um pouco de ambiente. E as cafeterias tem, cada vez mais, se tornado agradáveis e acolhedoras... além do cheirinho irresistível do café... Irresistível e viciante... e eu quero compartilhar com vocês também minha experiência com o vício da cafeína, pois a gente precisa aproveitar os benefícios do café (que são muitos), mas sem vícios.

Vamos primeiro às análises e estudos sobre o café e sua relação com a nossa produtividade, e depois minha experiência contra o vício da cafeína.


CAFÉ: EXCELENTE PARA AUMENTAR A CONCENTRAÇÃO

Um estudo publicado em 2013 examinou o impacto que a cafeína tem na nossa forma de pensar, e concluiu que o café pode ser fantástico para nos ajudar na concentração, para focarmos em determinado assunto ou projeto, contribuindo positivamente com nossa performance.

No entanto, se quisermos ser criativos, esse foco ampliado pode impedir que nossa mente explore um pensamento novo e divergente. Da mesma forma, é ruim tomarmos café perto do horário de dormir, pois ele pode provocar insônia.

CAFÉ NAS REUNIÕES: UM EXCELENTE NEGÓCIO

Um outro relatório, publicado recentemente e divulgado na Forbes Brasil, descobriu que servir café em reuniões é um bom negócio, pois deixa as pessoas mais focadas, tornando as reuniões mais produtivas, ao mesmo tempo em que aumenta o envolvimento dos participantes e, geralmente, o contentamento quanto ao sucesso da reunião.

Os autores consideravam que a maioria das pesquisas sobre o impacto do café no nosso desempenho se concentrava no indivíduo, então, quiseram examinar se impactos semelhantes poderiam ser vistos na performance do grupo. Verificou-se que as pessoas que tomavam café antes de uma reunião eram efusivas em seus elogios tanto pelo seu próprio desempenho quanto pelo do grupo.



COMO FUNCIONOU O TESTE DO CAFÉ NAS REUNIÕES

Os participantes foram inicialmente convidados a tomar café juntos cerca de 30 minutos antes de começar uma discussão em grupo. Cada pessoa recebeu a tarefa de fazer recomendações sobre o assunto no final da reunião. Para efeito de comparação, foi organizado um grupo de controle, ao qual foi dado o mesmo exercício, mas com café servido depois do encontro.

Para o grupo que bebeu café e performou bem foi feito um outro estudo de acompanhamento para descobrir se o consumo da cafeína ou o ato social de beber juntos aumentava o desempenho. Um segundo grupo de participantes foi recrutado para realizar uma tarefa semelhante, mas desta vez, uma parte recebeu café descafeinado.

Os resultados foram semelhantes aos do primeiro experimento, com o grupo que bebeu o café normal apresentando um desempenho melhor do que aquele que recebeu café descafeinado.

Portanto, os pesquisadores aceitam que a cafeína torna as pessoas mais alertas, e foi esse estado que ajudou na performance.

Além das reuniões, o café é sempre bem vindo em eventos corporativos, no geral, e também nos intervalos de cursos, seminários, palestras e por aí vai. Tanto que o intervalo chama-se coffee break.



CUIDADO COM O VÍCIO

É bastante interessante estas análises sobre o café e sobre trabalharmos e fazermos reuniões em cafeterias, ou usarmos o café nas reuniões, onde quer que elas aconteçam, mas tudo tem que ter equilíbrio. A cafeína também vicia, e eu falo por experiência própria.

Eu já fui viciada em café ao ponto de ter dor de cabeça se não tomasse café de manhã, e de sentir necessidade de tomar café o dia inteiro, pois ele realmente me ajudava na produtividade. E ainda ajudava na saciedade (ele reduz a fome), o que eu achava ótimo.

Quando percebi o crescimento do vício, e a dependência química da cafeína, tomei uma medida extrema: cortei o café, totalmente. E pude sentir, na própria pele, o tamanho do vício: fiquei uma semana de cama, em crise de abstinência da cafeína, com uma enxaqueca super forte. Então, realmente, a cafeína vicia!!

Após um mês, pude continuar vivendo sem café. Após mais de um ano, hoje tomo café eventualmente. Amo café... o cheiro... o sabor... mas aprendi que nada em excesso é bom, e isto inclui o nosso querido cafezinho!!...

Hoje tomo chás, que também são saborosos e bons para a saúde, e descobri que eles também são servidos em cafeterias. Inclusive tem crescido a oferta de chás, o que acho ótimo!! E, eventualmente, um café. Mas sem vício!!

E se você chegou ao ponto do vício, saiba que é preciso livrar-se desta dependência química. Vai passar pela abstinência? Sim... mas valerá a pena se libertar do vício.

Nada em excesso é bom... Nada que nos vicie é bom. A liberdade é um dos nossos bens mais preciosos. O domínio próprio também pois, como bem diz Pitágoras: "quem não domina a si mesmo não encontra liberdade".

Até o próximo post!!

Marcia Cruz
cruzmarcia@gmail.com


0 comentários: