Comportamento,

MUDANÇA DE RUMO: Como mudar de carreira de forma correta?

26 julho Marcia Cruz 0 Comments



Você está satisfeito com a sua profissão? Sua carreira profissional é o que você esperava? Ou você sofre da “síndrome de domingo à noite”, que provoca pavor da segunda-feira, pois vai começar tudo de novo? Tem pessoas que amam a sexta-feira e odeiam a segunda, pois detestam sua rotina durante a semana.

Uma pesquisa da empresa DBM, da área de Recursos Humanos, mostra que, na cidade de São Paulo, são os executivos na faixa de 40 – 50 anos que mais desejam mudar. Pessoas na faixa dos 30 anos também sentem muita insatisfação com a carreira escolhida, e ficam na incerteza do que fazer: continuar ou mudar de rumo?

A postagem de hoje é para quem está nesta situação. Me acompanhe!


QUAL O MOTIVO DA INSATISFAÇÃO?

O primeiro ponto a ser avaliado é o motivo da insatisfação profissional. Ele é interno, tem a ver com sua vocação, com o fato de sentir-se um peixe fora d’água e por não se sentir feliz com suas atribuições? Ou tem fatores externos, mais ligados ao clima da empresa, que não é legal, ou com o fato de ter chefes opressores ou por ter um relacionamento desgastante com seus colegas?

Porque é importante identificar este ponto? Porque se sua insatisfação for por motivos internos, isto indica que você está na carreira errada. Mas se for por motivos externos, o problema não está na profissão, em si, mas no ambiente em que você está trabalhando, ou até mesmo em posturas que você precisa mudar, melhorar.

Se você gosta da área, mas não exatamente da função que está exercendo, que tal pensar em mudar de setor e experimentar novas funções? Pesquise sobre as possibilidades, faça cursos que te capacitem para a nova função e mude. A gente passa muito tempo no trabalho para exercer uma profissão que nos angustia. Por mais que ela te der um bom retorno financeiro, se você vive angustiado e infeliz, não vale a pena!



PLANEJANDO A MUDANÇA DE CARREIRA

Considerando que você percebeu que, realmente, está na carreira errada e quer mudar, vamos ao planejamento para que você faça a mudança sem atropelos desnecessários.

1) AUTOCONHECIMENTO PARA IDENTIFICAR ONDE ESTÁ E PARA ONDE QUER IR

A primeira coisa é você tomar consciência de onde está (Ponto A) e para onde quer ir (Ponto B). E para saber para onde você quer ir, no caso a nova carreira, é preciso que você esteja certo do que quer.

Para isso, você precisa conhecer suas habilidades e competências, seus pontos fortes e fracos, e quais as carreiras que melhor se adaptam a estas características. Dentre elas, qual a que mais se adapta a você, ao seu estilo pessoal de vida? Em qual das opções você se sente mais confortável para se desenvolver e passar boa parte do seu tempo convivendo com ela e com as responsabilidades que ela exige?

Uma coisa você precisa entender: TODAS AS PROFISSÕES têm prós e contras, tem dificuldades próprias, inerentes ao setor, e também tem as máfias e as pessoas boas e más. Sim, elas existem em todos os lugares e por isso você não pode decidir mudar de carreira por motivos externos, mas somente por motivos internos, que tenham a ver com as suas aptidões e com o seu ideal de vida. Com o teu propósito de vida, com os teus valores e com a tua essência.

Avalie também o mercado da nova profissão. Como está o mercado hoje e quais são as perspectivas de futuro? Identifique seu diferencial e crie uma estratégia para crescer profissionalmente. Aproveite suas experiências de vida e use-as como aprendizados valiosos, pois eles são mesmo!! E vá adiante com planejamento, foco e determinação!!

2) PERÍODO DE TRANSIÇÃO

Considerando que você já não é um jovem que vive de mesada, na casa dos pais, e que já tem responsabilidades financeiras que precisa manter, como moradia, custos fixos de uma casa (energia, água, alimentação etc), é preciso que você faça um planejamento financeiro para fazer a mudança.

Você precisa saber o que precisa fazer para exercer a nova carreira. Terá que fazer um novo curso? Terá que passar por estágios? Tem como conciliar a atual carreira com este período de aprendizado? Tem como negociar redução de carga horária ou mudança de horário?

Se você não tem reserva financeira que te der o suporte para se manter no período de transição, é importante que você tenha consciência de que precisará se esforçar um pouco a mais, e economizar o máximo que puder para que possa alcançar o seu objetivo. E se você já tem filhos, este planejamento tem que ser mais minucioso ainda. Mas, se você está convicto do que quer, mude!! Valerá a pena!!

Será necessário passar uma fase de sacrifício, com cortes de despesas, e mudança no padrão de vida. Mas se esta não é a vida que você quer viver, o resto de sua vida, mude!! E mude o quanto antes!!




3) VENÇA O MEDO E VIVA A VIDA QUE JÁ EXISTE DENTRO DE VOCÊ

Quando a gente tem sonhos e metas, a gente tem uma vida que existe dentro de nós, não é mesmo? E é preciso muita coragem e determinação para que possamos trazer esta vida à existência física.

O medo vai tentar sabotar... mostrar as dificuldades... as barreiras... as impossibilidades... este é o papel dele. Nos fazer desistir!!

Por isso o autoconhecimento e o planejamento são essenciais para que você tenha mais confiança no processo da mudança. Sair da zona de conforto não é fácil, mas é necessário para quem quer crescer e avançar.

E eu sei que este é o seu caso!! Por isso, na próxima postagem, falarei sobre como vencer o medo e ir adiante.

Viva a vida que você foi feito para viver!! Viva o teu sonho, a tua essência... Seja a melhor versão de você mesmo!!

Até a próxima postagem de Coaching!!

Marcia Cruz
Coach e Jornalista

0 comentários: