Fique por dentro!

Stephen Hawking: super-humanos à caminho.

15 outubro DBV - Dicas Bem Viver 0 Comments


O professor Stephen Hawking deixou um conjunto de artigos onde prevê a criação de uma raça de super-humanos criada pela alteração do DNA. Segundo o físico que faleceu em março deste ano, as elites não vão resistir a manipular o seu próprio DNA e dos seus filhos para aumentar a memoria, a resistência à doença, as habilidades cognitivas e a longevidade.

A teoria é defendida no último livro do cientista, "Brief Answers to Big Questions" ("Breves Respostas para Grandes Questões", em tradução livre), que será lançado nesta terça-feira, 16 de outubro.

SUPER-RAÇA E O FIM DA HUMANIDADE

Stephen Hawking acreditava que os avanços na engenharia genética responsável pela criação desta super-raça vão acabar por destruir o resto da humanidade que não terá capacidade de evoluir tão rapidamente.

“Estou certo de que durante este século as pessoas vão descobrir como modificar tanto a inteligência como os instintos, tal como a agressão. Vão ser criadas leis contra a engenharia genética em humanos. Mas algumas pessoas não vão ser capazes de resistir à tentação de melhorar as características humanas como a memória, a resistência a doenças e a longevidade da vida”, escreveu Hawking num conjunto de estudos que vão ser publicados esta terça-feira (16).

Quanto aos humanos que não tenham capacidade de recorrer à alteração genética vão ficar para trás. “Assim que os super-humanos aparecerem, vai haver problemas políticos significativos com os humanos melhorados, porque não será possível competir”, explica acrescentando que os restantes humanos “vão morrer, ou deixar de ter importância. Em vez disso, vai haver uma raça de seres auto-desenhados que vai melhorando a um ritmo acelerado”.

As previsões de Hawkings têm por base técnicas já existentes que têm criado controvérsia entre a comunidade científica.

SOBRE STEPHEN HAWKING



Stephen Hawking é considerado por muitos um gênio único e o físico mais brilhante desde Albert Einstein. Entretanto, algumas das descobertas científicas teóricas que realizou no campo da cosmologia e especialmente no estudo dos buracos negros não puderam ser confirmadas por dados de observação, o que o afastou da possibilidade de ganhar um Nobel.

Hawking foi o primeiro a estabelecer uma teoria da cosmologia explicada por uma união da teoria geral da relatividade e da mecânica quântica. Ele é um partidário vigoroso da interpretação de múltiplos mundos da mecânica quântica.

Hawking teve uma forma rara de início precoce, progressiva, de esclerose lateral amiotrófica (ALS) que gradualmente o paralisou ao longo das décadas. Hawking surpreendeu médicos em todo o mundo, enquanto vivia apesar da doença que geralmente leva à morte dentro de anos. O diagnóstico da doença foi feito quando ele tinha 21 anos.

O físico britânico morreu no dia 14 de março, em Cambridge. Os restos mortais de Stephen Hawking foram enterrados na Abadia de Westminster, ao lado de cientistas como Isaac Newton, Charles Darwin, J.J Thompson e Ernest Rutherford.

0 comentários: