Comportamento,

O que não gosto em você, corrijo em mim

03 dezembro DBV - Dicas Bem Viver 0 Comments


As relações que mantemos com os demais são reflexos ou projeções dos aspectos de nossa personalidade que gostamos e também que não gostamos. Projetamos, constantemente, uma parte de nós. Isso é o que, em psicologia se conhece como teoria do espelho e, à diferença do que muitos acreditam, que todo o mau que há nos demais também existe em nós. Essa teoria propõe um enfoque diferente com dois aspectos, um direto e outro inverso.

Explico-me melhor. A teoria do espelho propõe o seguinte: Para que estou vivendo esta situação com esta pessoa e que há nela que não aguento em mim?” Em linhas gerais, não somos capazes de ver nossos defeitos e, inclusive, nossas virtudes, por isso a outra pessoa nos serve simplesmente de espelho, mostrando-nos, de modo direto, aquilo que está em nós para que tenhamos a oportunidade de corrigi-lo.

A teoria atua de modo direto ou inverso. Por exemplo, imagine que não suporta que seu companheiro ou um amigo se comportem de maneira egoísta. De modo direto, pode que esteja projetando essa parte de você que é egoísta e que tanto recusa. Aplicada de modo inverso, essa pessoa poderia estar refletindo o pouco que você faz valer seus interesses. Talvez, sempre esteja pendente dos demais e cuide muito pouco de você. Portanto, essa teoria do espelho lhe traz, de todo modo, uma valiosa informação para seu crescimento e evolução.

Outro exemplo, quando você se encontra com alguém que é muito exigente e perfeccionista, essa pessoa pode ser um reflexo do que você se impõe e se exige a você mesma ou se adverte que é muito tolerante e que precisa ser mais assertivo na sua vida.

Na vida, tudo é equilíbrio e, quanto melhor nos conheçamos, melhor viveremos.

Por Karim Temple, ilustradora e escritora.


0 comentários: