Giro DBV Social @By Marcia Cruz

Diamba estréia projeto “Te Encontro no Pelô”

30 novembro Marcia Cruz 0 Comments

A banda de reggae Diamba dará início na quinta-feira, dia 4 de novembro, ao projeto "Te Encontro no Pelô". Realizado pela Mazurca Produções e com patrocínio do Governo do Estado, através da Secretaria de Cultura (Secult), o projeto contará com shows da Diamba e de artistas e grupos convidados, todas as quintas de novembro (04, 11, 18 e 25), sempre às 19h.

Para a estréia da temporada, sobem ao palco da Praça Tereza Batista, antes da apresentação da Diamba, os grupos Casco Cabeça, formado no Projeto Tamar e com foco na educação ambiental, e o Ministério Público, que tem como filosofia difundir ritmos jamaicanos, como o reggae, o dub, o ragga murcin e o Sky. Até o dia 25 de novembro, a Diamba recebe ainda os grupos Maglore, Pirigulino Babilack, Semente da Paz, entre outros convidados.

Com um foco especial para alunos do ensino médio das escolas estaduais, a Diamba agrega ao "Te Encontro no Pelô" a ação "Atitude Construtiva – tenha a sua também!". Nas semanas dos eventos, serão realizados, nos colégios Central (Av. Joana Angélica), Odorico Tavares (Corredor da Vitória), Severino Vieira (Nazaré) e Thales de Azevedo (Costa Azul), palestras sobre o mercado musical, cultural e meio ambiente (através de uma parceria com o Projeto Tamar), além de pocket shows com componentes da banda. Na primeira semana, o evento acontece no Colégio Severino Vieira, na quarta-feira (3).



Novidades - Em forte ritmo de ensaios, visando especialmente os shows do Pelourinho, a moçada da Diamba prepara uma série de novidades para o público que pintar nas apresentações do projeto "Te Encontro no Pelô". Entre as surpresas, estarão exibições de músicas inéditas, que comporão o próximo CD do grupo, a ser lançado no primeiro semestre de 2011. Faça valer, que já está disponível no my space da banda (http://www.myspace.com/bandadiamba) é uma das maiores apostas, assim com a canção A boa.


De acordo com o baixista Renato Nunes, a cada apresentação o público conhecerá novas canções. "Devemos estrear umas sete músicas até o último show do projeto", explica. "Além das canções novas e das já consagradas nos três discos da Diamba, o público verá um show diferente do que a banda tem apresentado nos últimos anos", complementa Nunes.

Nas apresentações, subirão ao palco da Praça Tereza Batista apenas os cinco componentes originais da banda (Duda Sepúlveda – Vocal; Renato Nunes – baixo; Tilson Santana – teclados; Caio Frenn - Bateria; e Paulinho "Marola" – guitarra). Ao invés dos metais, da percussão, e de outros instrumentos complementares, o som da Diamba será enriquecido com sampls, ou seja, efeitos sonoros criados por computador, que incrementarão os arranjos musicais e farão vinhetas para intercalar algumas músicas.

"Além disso, pretendemos mostrar um forte casamento entre música e iluminação, para proporcionar um espetáculo mais dinâmico e interessante. Para isso, estamos afinando os trabalhos com o nosso iluminador Beto", explica o baixista. De acordo com o vocalista Duda Sepúlveda, o projeto marca uma nova fase da Diamba, sobretudo porque algumas músicas que estarão no novo CD já serão testadas.

"Além das novidades que apresentaremos no palco, este projeto nos deixa muito feliz pelo caráter educativo, através das ações nas escolas estaduais. Esse público, sobretudo a moçada que está concluindo o terceiro ano colegial, é muito especial pra nós", comenta Sepúlveda. "Temos um carinho muito grande por essa juventude e percebemos que há uma recíproca. Estamos ansiosos e com muito entusiasmo para encontrar nosso público no Pelourinho mais uma vez. Tenham certeza que serão quatros shows inesquecíveis", promete o cantor da Diamba.

Sobre o Ministério Público – A idéia do Grupo Ministério Público é simples: levar informações sonoras, divertir e interagir com a moçada. Com esta filosofia, inspirada em uma das mais sólidas tradições jamaicanas surgida nos anos 50, o grupo de músicos se uniu em Salvador há cinco anos, para formar o primeiro sound sistem da Bahia. Traduzido para o português como sistema de som, o estilo nasceu com a intenção de popularizar ritmos da terra de Bob Marley, como o reggae, o dub, o ragga murcin e o Sky.

Sempre fiel ao princípio de democratizar a música em espaços abertos, a banda traz essa proposta para o Largo Tereza Batista, onde prometem levar informações musicais privilegiadíssimas e muito suing jamaicano para a galera que for ao evento de estréia do projeto "Te Encontro no Pelô", na próxima quinta-feira.

Formado por Dudoo (selecta), Raiz (selecta), Dfrence (selecta), Fael 1° (toaster) e Regivan (técnico de som), o "coletivo de DJs" baiano vem, ao longo dos anos, ocupando ruas, praças, bairros e casas noturnas da cidade, com o intuito de popularizar e fortalecer a cultura de soundsystem na Bahia.

Sobre o Casco e Cabeça – Formada há dois anos, a banda Casco Cabeça tem uma missão musical e social bem nobre. Nascida a partir do projeto musical, 30 Anos de História pra Contar, do Projeto Tamar, o grupo aborda, em sua música, temas como o ciclo de vida das tartarugas marinhas, a conservação da natureza e a história das pessoas que ajudaram a construir o Projeto.

Com diversas influências musicais e uma mistura de ritmos muito interessante, que agrega reggae, rock, forro, bossa, entre outros, o Casco Cabeça tem direção musical do renomado baixista Luciano Calazans.

Formado por Agmário Laércio - guitarra e voz; Dudu Rodrigues - teclado, gaita e voz; Michelke Bruna - voz, Aguimar Santana - baixo; Cau Specht - bateria; Marcos Rossi - violão e voz; e Del Percussa – percussão; o Casco Cabeça toca tradicionalmente no Coreto do Projeto Tamar, na Praia do Forte, e já dividiu palco com grandes nomes da música nacional e internacional, como Lenine, Stanley Jordan, Armandinho Macedo, Luiz Caldas, entre outros.

Serviço
O que: Projeto Te encontro no Pelô
Quem: Diamba e convidados (Casco Cabeça e Ministério Público)
Onde: Praça Tereza Batista, no Pelourinho
Quando: Quinta-feira, 4 de novembro , às 19h
Quanto: R$ 5 (compra somente na bilheteria)